Urbanismo

 

 

Curitiba

 

 

Desenvolvimento planejado, educação ambiental e preservação do patrimônio histórico são conceitos abraçados pelos habitantes e administrações públicas de Curitiba desde o nascimento da cidade. Os frutos dessa postura histórica mostra-se evidente para o turista que visita Curitiba.

Mais: Sustentabilidade e Urbanismo no Brasil

 

Parques Curitiba

 

O Farol do Saber Miguel de Cervantes na Praça da Espanha. Presentes em vários bairros de Curitiba, os Faróis do Saber permitem fácil acesso da população a bibliotecas e outros recursos culturais. Faróis do Saber

 

Paisagismo

 

Curitiba

 

Estações-tubo na Praça Rui Barbosa. Um dos pontos centrais do sistema de transportes de Curitiba.

 

Praca Osorio

 

 

Terminal de Transporte Campina do Siqueira, no final da av. Padre Anchieta (foto Prefeitura de Curitiba).

 

Praça Eufrasio Correia

 

Estação Tubo

 

Universidades Curitiba

 

Batel
Jardim Botanico

 

Em Curitiba

Arquitetura

Bairros

Geografia

História

Igrejas

Mapas e Endereços

Ópera de Arame

Parques e Bosques

Patrimônios Históricos

Passeio Público

Praça Tiradentes

Praça Garibaldi

Praça do Japão

Praça Santos Andrade

Praça Osório

Praça Zacarias

Praça 19 de Dezembro

Rebouças

Santa Felicidade

São Francisco

Setor Histórico

Transporte

Unilivre

Copyright © Guia Geográfico - Cidade de Curitiba PR.

 

Transporte

 

Farol do Saber Miguel de Cervantes

Rua das Flores em Curitiba, Paraná

 

Terminal de Transporte em Curitiba Paraná

Rua das Flores: A primeira avenida do Brasil fechada ao trânsito de veículos. O Palácio Avenida (à esquerda na foto) foi construído em 1929 e abrigava o Cine Avenida, um dos primeiros cines de Curitiba.

 

A História do Planejamento Urbano em Curitiba

O primeiro plano urbanístico de Curitiba foi instituído em 1783, quando a Câmara de Vereadores da época determinou o traçado das ruas, disciplinando a localização das novas construções.

Em 1886 construiu-se o Passeio Público, o primeiro parque de Curitiba, reunindo conceitos de  preservação ambiental, saneamento e lazer.

Em 1895 surgiu o primeiro Código de Posturas de Curitiba, que regulamentava aspectos de conduta e higiene. A partir de 1903 institui-se a  hierarquização de usos do solo.

Na década de 1910 as ruas do centro foram pavimentadas com paralelepípedos e os bondes, até então puxados por mulas, foram substituídos pelos de tração elétrica, trazidos da França.

Na década de 1940, o urbanista e arquiteto francês Alfredo Agache, fundador da Sociedade Francesa de Urbanismo, elaborou um plano amplo para uma nova ordenação do espaço urbano de Curitiba. Resultaram, desse plano, as grandes avenidas, como a Visconde de Guarapuava, a Marechal Floriano Peixoto e a Sete de Setembro. O plano também indicava uma área para o Centro Cívico, iniciado em 1952, o Centro Politécnico e o Mercado Municipal.

Em 1955 surgiu o primeiro plano de transporte coletivo, dividindo-se a cidade em áreas de concessão para empresas privadas de transporte.

Nos anos 60, urbanistas da Universidade Federal do Paraná encaminharam à Prefeitura uma proposta de plano diretor para Curitiba. Após amplo debate o Plano Diretor foi aprovado, mas iniciado somente em 1971, na gestão do prefeito e arquiteto Jaime Lerner. Foram, então, instituídas, por exemplo, as ruas exclusivas para pedestres (calçadões), a integração do transporte coletivo e o emprego de canaletas exclusivas para ônibus. O fechamento de parte da Rua XV de Novembro ao tráfego de veículos, em 1971, foi a primeira iniciativa desse tipo no Brasil. Esse trecho é conhecido hoje como a Rua das Flores, e inclui a av. Luiz Xavier.

Mais sobre urbanismo em Curitiba no site do IPPUC e URBS.