Tradições Culturais

 

Os habitantes primitivos de Curitiba eram principalmente grupos indígenas das famílias linguísticas Jê e Tupi-Guarani. Esses grupos incluíam os Kaingang, Xokleng e Tingüi.

Portugueses chegaram em busca de ouro no século 17 e tornaram-se predominantes na região. Até o século 18, a maioria dos habitantes da vila de Curitiba eram portugueses, espanhóis, índios, negros ou mestiços. Nessa época, os tropeiros contribuíam, em grande parte, para o estilo de vida da vila.

Nos séculos 18 e 19, os escravos índios passaram a ser substituídos pelos escravos africanos, principalmente para o trabalho em lavouras. Em Curitiba, alguns escravos africanos eram utilizados em serviços domésticos e nessa época representavam uma parcela expressiva da população da cidade. Conta-se que se podia ouvir cantos africanos à noite, no largo do mercado municipal.

Com a chegada da família real ao Brasil, em 1808, e a abertura dos portos, iniciou-se oficialmente o processo de imigração estrangeira no Brasil de propósito colonizador. D. Pedro I incentivou a vinda de imigrantes europeus para que povoassem e desenvolvessem as zonas rurais do Brasil. Buscava-se, também, evitar invasões de países vizinhos nessas regiões, principalmente no sul do País.

Em Curitiba, a imigração de intuito colonizador remonta ao início do século 19, com a chegada de famílias alemães. A partir de 1867, estabeleceram-se 35 núcleos coloniais de imigrantes em terras dos campos de Curitiba. A maior parte eram italianos, ucranianos e poloneses. Havia, também, muitos imigrantes, austríacos, suíços, holandeses, franceses e russos.

A intensa imigração europeia promoveu um novo ritmo de crescimento em Curitiba. Influenciou os hábitos e a cultura local. Curitiba tornou-se uma importante região agrícola. Hoje, a maior parte da população de Curitiba, cerca de 1,8 milhão de habitantes, descende desses imigrantes.

No início do século 20 chegaram os imigrantes orientais: principalmente japoneses, sírios e libaneses.

Índios, garimpeiros portugueses e espanhóis, escravos africanos, tropeiros, imigrantes e brasileiros vindos de outros estados, proporcionam a Curitiba uma riqueza étnica e cultural importante e diversificada. Raramente encontrada em outras partes do Planeta.

Essa multiplicidade cultural pode ser hoje percebida na diversidade arquitetônica da cidade, na gastronomia variada dos restaurantes, nos eventos culturais e na variedade de cultos e religiões em Curitiba.

 

Curitiba

 

Acima, descendentes de imigrantes animam evento na Praça Osório. Embaixo, a lavagem da Igreja do Rosário dos Pretos, manifestação da cultura negra em Curitiba.

 

Grupos Folcloricos

 

Bosque Papa

Memorial da Imigração Árabe e Farol do Saber Gibran Khalil, no Centro de Curitiba.

 

Igreja de São José, Paróquia de Santa Felicidade, no bairro conhecido pela tradição dos imigrantes italianos em Curitiba. Santa Felicidade

 

Portal Polones

 

Curitiba

Lavagem Rosário
Fonte Memoria

 

Memorial Ucraniano

 

Memorial da Imigração Árabe, em Curitiba

 

Copyright © Guia Geográfico - Cultura em Curitiba Paraná

 

Historia Curitiba

 

Saiba mais sobre a Paróquia de Santa Felicidade

 

 

 

Imigrantes Curitiba

 

Tradições Culturais